Breves
Rua Álvaro Cunhal
Integrada na sua data de aniversário, a Câmara de Coimbra vai realizar, no sábado, às 11 horas, uma cerimónia de descerramento da placa toponímica «Rua Álvaro Cunhal». Esta artéria fica situada na Freguesia de Santa Clara – Alto dos Barreiros, pela antiga Estrada de Lisboa, com acesso pela Rua Urb. Valverde e Rua N.º Sr.ª das Vitórias.
A iniciativa irá contar com a presença de Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP. Realizar-se-á, também, um momento de poesia com os actores da Bonifrates e Joaquim Basílio.

Medidas eficazes
As associações dos reformados, pensionistas e idosos do distrito de Beja (FARPIBE/MURPI) reclamaram, no sábado, a altareção da actual lei de bases da segurança social, «na qual sejam permitidas medidas sérias e eficazes que contribuam para a sustentabilidade financeira destes serviços, com base na sua diversificação das fontes de financiamento, tendo em conta uma mais justa repartição da riqueza».
Reunidas em plenário, exigiram ainda «o aumento das pensões de reforma», «a diminuição das exigências burocráticas para a obtenção do Complemento de Reforma», «garantir o direito constitucional à saúde através do Serviço Nacional de Saúde», «a criação de uma rede de transportes com horários adaptados às necessidades das populações», «atribuir ao Estado a organização de segurança de bens e pessoas» e «o reconhecimento do MURPI como Parceiro Social».

Saibreiras ao abandono
A CDU de Ermesinde visitou, recentemente, a zona das Saibreiras. No local, ouviu os moradores e visitou, entre outros espaços, uma área de lazer, com parque infantil.
Cercado por prédios, o espaço de recreio, que deveria servir para as crianças conviver, brincar e divertir, servia, segundo observaram os eleitos do PCP, para depósito de lixo e para encontros de grupos de delinquentes e toxicodependentes. Perante a visita dos comunistas, os moradores mostraram-se revoltados e referiram que se sentiam «abandonados» pela autarquia.
Na semana seguinte, a Câmara Municipal de Valongo efectuou a limpeza da zona e o arranjo dos «jardins» que lá existiam. Mas, para a CDU, ainda não chega. «O parque infantil continua a não estar de acordo com as normas de segurança em vigor, as árvores e arbustos continuam a tapar a visibilidade da zona e a iluminação é ineficiente», denunciam os eleitos.

Agravamento de serviços
A Carris quer passar à 2.ª fase do chamado «Plano 7». Esta medida vai trazer «agravamento das condições de transportes» da cidade e em especial na Freguesia de Campolide, onde a Carris quer encurtar as carreiras 2, que terminará no Marquês de Pombal e não na Praça do Comércio, e 713.
«Se a Carris levar a sua proposta por diante, iremos ter mais despesas: teríamos de comprar novo título de transporte para transbordo e para o Metro», avisa a CDU, acrescentando: «O que a freguesia precisa é de mais autocarros, e não que se cortem carreiras e percursos».
Em Coimbra, a CDU de Eiras exigiu a alteração do trajecto da carreira 35, da SMTUC, com a finalidade de melhor servir os moradores dos bairros do Brinca e Relvinha. Para os eleitos do PCP, esta questão, com já nove meses de demora, é «incompreensível».

Mais sacrifícios
Rejeitando a proposta da CDU, a Câmara da Amadora recusou, no passado dia 26, baixar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). «Todos vamos pagar mais quer nesse imposto quer nas taxas de saneamento básico, ambiental e de conservação de esgotos», acusam, em nota de imprensa, os eleitos do PCP.

«Não à discriminação»
A Confederação Nacional de Organismos Deficientes (CNOD) participou, no passado dia 26, em Lisboa, numa conferência intitulada «Não à discriminação no acesso ao emprego e à formação das pessoas com deficiência».
«A integração das pessoas com deficiência no mercado de trabalho, deve ser uma medida prioritária pois vai promover a sua inclusão na sociedade e contribuir para a sua autonomia, qualificação e valorização pessoal», afirmou, na ocasião, Carlos Costa, presidente da CNOD.

Linha do Sado
Fruto da luta dos utentes, população, autarquias e trabalhadores, foi publicado em Diário da República, no dia 22 de Agosto deste ano, a abertura do concurso público para a electrificação e beneficiação do troço entre Barreiro e o Pinhal Novo.
Esta reivindicação, que se espera inscrita no próximo PIDDAC, começou em Novembro de 1998, através de um abaixo-assinado com 6374 subscrições, enviado à CP, Assembleia da República e aos grupos parlamentares.
«É nosso apelo que todos estejam atentos e não consintam que a promessa, uma vez mais, possa dar lugar a trangiverações, a novas promessas e ao aparecimento de ameaças do género das que temos conhecido», afirmam, em nota de imprensa, os interessados nesta infra-estrutura. São eles a Câmara do Barreiro, da Moita, de Palmela e Setúbal, a Comissão de Utentes da Linha do Sado, a Comissão Rodo-Ferro-Fluvial do Barreiro, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores Ferroviários e Sub-Comissão dos Trabalhadores Ferroviários da Linha do Sado.

Autoritarismo e arrogância
No passado dia 24, os vereadores da CDU abandonaram a reunião extraordinária da Câmara de Coruche pelo facto de não lhes ter sido facultado qualquer documento relativo ao assunto agendado para deliberação: Rescisão do contrato da empreitada de construção do edifício do observatório do sobreiro e da cortiça.
Perante este «inaceitável comportamento» da maioria PS, os eleitos do PCP exigiram do presidente da Câmara «especificação detalhada dos quantitativos referentes aos erros no projecto», «as omissões do referido projecto» e «o real valor financeiro dos erros e omissões».
Para a CDU deverá ainda ser constituída uma Comissão de Inquérito que apure com «rigor» e «clareza» as responsabilidades pelo sucedido.

Transporte integrado
A localização do novo Centro de Saúde de Paço de Arcos veio acarretar mais um encargo económico aos utentes que usam os transportes públicos para lá se deslocarem, em virtude de terem agora de utilizar mais uma carreira de autocarros, a 111, não podendo, nesta, utilizar o passe social.
Assim, a CDU apresentou, na última Assembleia de Freguesia, uma proposta que solicitava ao executivo da Junta que diligenciasse junto da Câmara de Oeiras para que a carreira 111 da Vimeca seja integrada na rede normal de transportes, podendo assim serem utilizados os passes sociais.
Esta medida viria também a beneficiar os utentes das restantes freguesias do concelho, nomeadamente de Paço de Arcos e Caxias. A proposta, na Assembleia de Freguesia, foi aprovada por unanimidade.

Falta de planeamento
O cemitério de Odivelas está em ruptura. «O aumento urbanístico ocorrido no concelho provocou um aumento galopante da população, facto que tinha que produzir esta situação», constatam, em nota de imprensa, os eleitos da CDU, que acusam o PS pela situação, «pois está há mais de uma década a gerir a Junta de Freguesia e há nove anos a gerir a Câmara de Odivelas».
Neste sentido, exige-se, de imediato, a ampliação da infra-estrutura e a construção de um novo cemitério. «A problemática que envolve o actual cemitério, a sua ampliação e a construção de um novo cemitério para o concelho, deve ser considerada uma primeira prioridade deste executivo, pois ele serve 80 por cento da nossa população», acrescenta a CDU.