Ásia-Pacífico longe do desenvolvimento
Um relatório da ONU divulgado esta semana em Banguecoque revela que os países da região Ásia-Pacífico estão ainda longe de atingir as Metas de Desenvolvimento do Milénio (MDM).
Segundo o documento, na referida região cerca de 65 por cento das crianças com menos de cinco anos têm falta de peso e seis em cada 100 morrem por ano. Estes valores representam quase o dobro do índice de mortalidade infantil na América e nas Caraíbas.
Também as mortes maternas ascendem quase a metade do total mundial: 300 por cada 100 mil nados vivos.
De acordo com o relatório, mais de 560 milhões de pessoas que vivem nas áreas rurais da Ásia-Pacífico não dispõem de água potável e mais de 1500 milhões vivem sem instalações sanitárias básicas, o que equivale a quase três quartos do total mundial.
Quanto à desigualdade de rendimentos (índice de Gini), o estudo concluiu que, na última década, se agravou em 14 dos 20 países da região. O índice de Gini baseia-se num valor standard que varia numa escala de zero a 100 e que corresponde, respectivamente, à igualdade absoluta e à situação de uma família que carece de tudo.
O documento da ONU – preparado em conjunto pela Comissão Económica e Social das Nações Unidas para a Ásia e Pacífico (UNESCAP), o Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) – exorta a uma associação global para corrigir as disparidades e elevar a cooperação Sul-Sul através da assistência técnica e económica.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: