Breves
Forças de Segurança
A leis orgânicas da GNR e da PSP, parte central da reforma do sistema e das forças de segurança, foram aprovadas, há oito dias, em votação final global, no Parlamento.
A lei orgânica da Guarda Nacional Republicana (GNR), foi aprovada pelo PS, com os votos contra do PSD, PCP, BE, CDS/PP e «Os Verdes».
Na lei orgânica da Polícia de Segurança Pública, o PS, que a votou favoravelmente, teve a seu lado a bancada do PSD. As bancadas do PCP, BE e PEV votaram contra, optando o CDS/PP pela abstenção.
Aprovada foi ainda a lei orgânica da Polícia Judiciária, que teve apenas os votos favoráveis do PS. PCP, BE e PEV votaram contra e o PSD e o CDS/PP abstiveram-se.

Em apoio do Baixo Mondego
É obrigatório dotar as obras hidroagrícolas do Baixo Mondego com as verbas adequadas às suas necessidades. Esta é uma exigência do PCP, preocupado que está com o facto de apesar das avultadas verbas de fundos comunitários para regadios previstas no PDR (760 milhões de euros), nenhuma referência concreta ter sido feita para aquela região centro.
Esta posição foi assumida pelo deputado comunista Agostinho Lopes em recente debate de um projecto de resolução do PSD que só agora, depois de anos a fio no governo sem nunca ter feito o que devia nesta matéria, é que se lembrou das inacabadas obras de aproveitamento hidroagrícola do Baixo Mondego.
Defendida pelo parlamentar do PCP, na ocasião, foi ainda uma outra política agrícola, diversa da praticada pelo PS e PSD, «uma política de defesa da produção nacional, de preços e mercados, de ajudas e incentivos, em que os condicionamentos ambientais não se transformem em nova e insuportável carga para os produtores».