Não à reabilitação do militar fascista
A Comissão Concelhia de Coruche do PCP acusa o director de O Jornal de Coruche, Abel Matos Santos, de estar a branquear a figura do Major Luís Alberto Oliveira e de defender a reposição da sua estátua do local de onde foi retirada, a seguir ao 25 de Abril de 1974, pela população do concelho. Os comunistas lembram que este militar foi ministro da Guerra da ditadura e que esteve envolvido na criação da PVDE.
Os comunistas de Coruche respondiam à cobertura noticiosa, feita pelo jornal local, do jantar comemorativo do 86.º aniversário do PCP. De todas as matérias abordadas nas intervenções políticas na iniciativa, denunciam os comunistas, apenas uma «sobressaltou a atenção do director» do jornal, precisamente a polémica em torno da figura do major.
Para defender a recolocação da estátua do militar fascista, Abel Matos Santos afirma que este participou num golpe, em 1934, contra Salazar. Mas, para o PCP, as motivações do golpe não são as que o director do jornal evoca, de uma alegada «infidelidade ao regime». Citando Medeiros Ferreira, o PCP esclarece que o desentendimento havido entre o ditador e o então ministro da Guerra e outros militares se deveu ao facto de Salazar ter negado qualquer legitimidade aos militares para ocuparem cargos públicos derivada do 28 de Maio e da condição de oficial das Forças Armadas.
Para o PCP, merecem uma homenagem e, quem sabe, mesmo uma estátua «todos os verdadeiros democratas e patriotas que lutaram para derrubar a ditadura.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: