Urgências do Hospital do Montijo
Luta fez Governo recuar, mas não chega
No dia 2 de Fevereiro, no Montijo, realizou-se uma sessão de esclarecimento sobre o que está em causa no referendo do próximo domingo, que contou com a participação de Vasco Cardoso, da Comissão Política (notícia nesta edição). Na iniciativa, os participantes reiteraram a intransigente defesa da manutenção das urgências no Hospital do Montijo com as actuais valências, «no quadro de um plano de melhoria geral da oferta de cuidados de saúde», destaca a Comissão Concelhia do Partido.
Para os comunistas, o chamado «serviço de urgências básico» é uma «pseudo-alternativa», mas revela apesar de tudo um recuo do Governo, cuja proposta inicial era o encerramento total. Mas, face ao protesto popular, o executivo recuou. Mas continua a não ter em conta as exigências populares, destacou o PCP.
Face a isto, os comunistas consideram necessário prosseguir «com redobrada determinação e confiança» a luta em defesa das urgências, sem nunca desistir da reivindicação de um novo hospital Montijo/Alcochete.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: