CDU denuncia ilegalidades
<font color=0069cc>«Falta de democracia» nas Flores</font>
A CDU da Ilha das Flores, Açores, entregou, na passada semana, uma queixa em tribunal contra o presidente da Câmara de Santa Cruz, alegando que o autarca rejeitou os nomes propostos para as mesas de voto no referendo à despenalização da IVG.
Em declarações à comunicação social, João Corvelo adiantou que o presidente da autarquia «não acatou um único nome proposto pelos delegados da CDU» para compor as mesas de voto das freguesias do concelho de Santa Cruz das Flores no referendo de 11 de Fevereiro.
«Esperamos que o tribunal faça cumprir a lei» orgânica do regime do referendo, afirmou João Corvelo, ao acrescentar que também foi apresentada queixa desta «situação aberrante» à Comissão Nacional de Eleições (CNE).
O comunista assegurou que a lista dos cinco delegados da CDU das Flores para o concelho da Santa Cruz foi apresentada a 19 de Janeiro, mas o presidente da autarquia «resolveu pôr e tirar pessoas das mesas de voto sem critérios, desrespeitando os delegados (da CDU)».
«A CDU das Flores apresentou delegados a todas as freguesias de Santa Cruz e não temos culpa que outros partidos não o tenham feito», afirmou João Corvelo, que classificou a posição do autarca Manuel Pereira como um acto de «falta de democracia».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: