Breves
<br>Fagrorural critica PDR
A Federação das Associação Agro-Florestais Transmontanas (Fagrorural) criticou, na passada semana, o Plano de Desenvolvimento Rural (PDR) do Ministério da Agricultura, considerando que este vai contribuir para o aumento da área agrícola abandonada e para a desertificação.
Armando Carvalho, que falava em conferência de imprensa, em Vila Real, alertou para as linhas de orientação do PDR que «penalizam fortemente a região e a agricultura familiar transmontana».
Segundo o responsável, o plano «desvaloriza a real-importância» de sub-sectores produtivos como o da pecuária - bovina, ovina, caprina e leite - ao excluir esta das fileiras prioritárias.

Lutar e resistir
O Governo PS continua a desenvolver uma política visando o encerramento dos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) e extensões de saúde, completamente insensível aos prejuízos criados às populações. Só no concelho do Cadaval vão encerrar três extensões de saúde: Vermelha, Painho e Barreiras.
«Em vez de se avançar decisivamente na construção do Centro de Saúde do Cadaval, o Governo opta por encerrar os serviços de proximidade ignorando o facto da maioria dos utentes serem idosos e não existirem transportes públicos para ligação entre as aldeias e o posto de destino», denunciam, em nota ao Avante!, os comunistas da região.

Promessas eleitorais
A CDU de Ermesinde criticou, em nota de imprensa, mais uma das promessas não cumpridas pelo Executivo PSD. Em causa, volvido mais de um ano de mandato desde as últimas eleições autárquicas, está o facto de a Câmara de Valongo não construir o prometido Mercado Municipal de Ermesinde.
Agora, o Executivo PSD quer construir nos terrenos do mercado um pavilhão de exposições. «A CDU não pode deixar de condenar que se avance com este projecto à revelia do que foi prometido por este órgão à Junta de Freguesia e à população. Ademais, o Mercado de Ermesinde constitui um equipamento relevante para a comunidade, que certamente rejeitará a sua extinção», alertam os eleitos do PCP.

Ilustradores flamengos
Até ao dia 1 de Abril, trabalhos de 18 ilustradores flamengos contemporâneos vão estar patentes no Auditório Municipal Augusto Cabrita, no Barreiro, no quadro da terceira Bienal Internacional de Ilustração para a Infância.
Estes trabalhos foram anteriormente mostrados em algumas pinacotecas especializadas em ilustração para a infância, como a do Palazzo Accursio, em Bolonha, e a da Biblioteca infantil internacional de Munique.

Voto de protesto
Os vereadores da CDU na Câmara de Odivelas apresentaram, na passada semana, um voto de protesto sobre o estado calamitoso em que se encontra a Escola Gonçalves Crespo, na Pontinha, visitada recentemente por eleitos municipais, da Câmara e Assembleia Municipal, a convite da Associação de Pais daquela escola. Este voto de protesto foi transformado em moção e aprovado por unanimidade.

Utentes em luta
A Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Saúde do Distrito de Viseu entregou, sexta-feira, às entidades oficiais presentes na abertura da Feira do Queijo de Penalva do Castelo, um abaixo-assinado, com mais de duas mil assinaturas, denunciando que 32 por cento da população de Penalva do Castelo está sem médico de família. No documento, os utentes manifestam ainda contra qualquer alteração dos horários das urgências que se venha a verificar.

Realidade desportiva
A realidade desportiva da Freguesia da Amora, Seixal, esteve, sexta-feira, em debate. Entre os vários temas em questão, deu-se particular relevo aos equipamentos desportivos como factor de melhoria da qualidade de vida e a função do movimento desportivo no mundo moderno.

Política cega
A Câmara de Vendas Novas aprovou, por unanimidade, uma moção em que manifesta a sua «frontal oposição» ao encerramento dos Serviços de Urgência no Centro de Saúde local. Naquele órgão, a autarquia comunista manifestou ainda o seu apoio a todas as iniciativas que a população do concelho venha a decidir levar por diante no sentido da defesa do Serviço de Urgência Permanente (24 horas) em Vendas Novas.
Sexta-feira, a Câmara de Peniche reiterou à Administração Regional de Saúde do Centro a sua oposição ao eventual encerramento da urgência do hospital local, uma medida que considera que prejudicará a população, que triplica todos os verões.

Contra «arrogância»
Cerca de 20 pessoas empunhando velas acesas juntaram-se quinta-feira frente ao Hospital S. João, no Porto, numa vigília «contra a arrogância da STCP», um mês depois da implementação de mudanças na rede de autocarros da empresa.

Junto da população
Por iniciativa da CDU, para debater a nova Lei das Finanças Locais, realizou-se, dia 25 de Janeiro, em Paranhos, uma Assembleia de Freguesia extraordinária. Ali, foi ainda apresentada uma moção sobre a Quinta do Covêlo.
Relativamente à Lei das Finanças Locais, Dantas Ferreira, eleito do PCP, sublinhou que esta lei «afecta seriamente a independência do Poder Local, contrariando o seu fim democrático e de aproximação às populações, e, nomeadamente, contrariando as transferências de competências, e acrescenta desresponsabilização, do Poder Central para o Poder Local, que, manifestamente, este último não pode cumprir por carência de meios».
No que diz respeito à Quinta do Covêlo, a CDU, através do seu eleito do Partido Ecologista «Os Verdes», José Luís Pinto, realçou a importância dos espaços verdes nos espaços urbanos.

Co-incineração
Os presidentes das Câmaras Municipais de Palmela, Sesimbra e Setúbal, entregaram, na passada semana, no Tribunal de Almada uma nova acção administrativa especial que visa suspender os licenciamentos da Secil para proceder à co-incineração de resíduos industriais perigosos.