Contra a guerra e a repressão
«A situação internacional demonstra que, hoje, as ofensivas do imperialismo avançam, mas, simultaneamente, as potencialidades revolucionárias e de resistência vão ganhando mais força», considera a Direcção Nacional da JCP.

Os jovens comunistas consideram que a tentativa de ilegalização da União da Juventude Comunista da República Checa (KSM) se insere numa campanha mais geral contra o movimento comunista e a democracia, que pretende criminalizar os comunistas, a sua acção e ideologia, «com a inaceitável comparação com os crimes cometidos pelo nazi-fascismo».
«A esmagadora vitória de Hugo Chávez nas eleições de 3 de Dezembro significa a vitória da Venezuela Bolivariana, do aprofundamento da democracia económica, social e cultural e de um rumo de justiça social e soberania. É a garantia de que a velha oligarquia, aliada ao poder do governo dos EUA, não voltará a sujeitar o povo venezuelano às mais miseráveis e humilhantes condições de vida e de desigualdade social», lê-se na resolução política.
Em relação ao Iraque, a Direcção Nacional refere o crescimento da resistência do povo contra a ocupação estrangeira e pela soberania do país. «Desde o inicio da ocupação já morreram mais de 3 mil soldados americanos e 600 mil vítimas iraquianas. Saddam Hussein, ditador que esteve ao serviço e acabou assassinado pelos Estados Unidos, foi executado num tribunal ilegítimo criado para o efeito pelos EUA e pelo governo iraquiano colaboracionista», salienta a organização, lembrando que é contra a pena de morte.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: