<em>Correios</em> voltam à greve
Após a greve dos sectores de transporte, tratamento e distribuição, na segunda-feira, com uma adesão global de 69 por cento, o Sindicato Nacional dos Correios e Telecomunicações mantém a mobilização dos trabalhadores para a luta que, no dia 27 de Dezembro, abrangerá toda a empresa.
Durante a greve, trabalhadores dos distritos de Lisboa e Setúbal concentraram-se nos Restauradores e desfilaram, em protesto, até à sede da empresa, na Rua de S. José, onde foi aprovada uma resolução, a reafirmar as reivindicações e a expressar disponibilidade para novas acções.
Os trabalhadores e o SNTCT/CGTP-IN opõem-se a decisões da administração dos CTT que, por via do desmembramento da empresa e da externalização de serviços, ameaçam centenas de postos de trabalho, bem como a qualidade do serviço e mesmo o futuro dos correios públicos.
Enquanto a administração contrapõe que não prepara despedimentos, o sindicato alerta que, após a passagem de serviços dos CTT (como o tratamento da correspondência dos grandes clientes) para empresas-satélite, os trabalhadores que vissem os seus postos de trabalho extintos seriam transferidos para outras áreas, como a distribuição, com prejuízo.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: