Contra o fecho de maternidades
MUSP solidário com populações
O Movimento de Utentes dos Serviço Públicos (MUSP) exige que o Governo pare «imediatamente com a política neoliberal» que está na base do encerramento de maternidades e de outros serviços públicos em vários pontos do País.
Em comunicado divulgado anteontem, dia 20, o Grupo Permanente daquele movimento afirma partilhar das preocupações de quantos têm vindo a protestar contra tais decisões do Executivo, argumentando que o fecho destas unidades de saúde obriga a acrescidas deslocações das parturientes que podem pôr em causa a sua saúde ou a dos filhos.
«O encerramento da maternidade de Elvas poderá ter custado a vida a um bebé quando a sua mãe era transportada para a maternidade de Portalegre para ser assistida a um possível parto prematuro», lembra, na sua nota à imprensa, o MUSP, convicto de que este caso «vem dar razão aos muitos milhares de cidadãos e muitas organizações» que pelas mais variadas formas têm manifestado o seu protesto contra esta política.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: