Cantoneiros sem prémio
Por iniciativa do PCP, a Assembleia Municipal do Porto reuniu, dia 3, em sessão extraordinária. O Partido pretendia que a Assembleia aprovasse o reatamento do pagamento do prémio nocturno aos trabalhadores da recolha de lixo do Porto, com os respectivos retroactivos, mas PSD e PP inviabilizaram a solução.
Após o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local ter acusado a Câmara do Porto de ter violado a Lei da greve ao contratar empresas privadas para fazer a recolha de lixo, a Assembleia Municipal deliberou, graças aos votos da direita, que cabe à Assembleia da República a elaboração urgente da legislação que enquadre o prémio nocturno destes trabalhadores, generalizando-o para todo o País.
No debate, Sérgio Teixeira, deputado municipal comunista, afirmou que «se há alguém sem culpas do debate jurídico que envolve esta situação são os trabalhadores afectados e são eles, os que menos ganham, que estão a pagar». Até 8 de Janeiro, os trabalhadores vão prosseguir com a greve às horas extraordinárias.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: