Poceirão exige passagem desnivelada
Como é do conhecimento público, a generalidade das autarquias portuguesas e a própria Associação Nacional de Municípios (ANMP) repudiaram o Orçamento de Estado para 2006, apresentado pelo Governo PS, particularmente por agravar o estrangulamento financeiro destes órgãos e introduzir normas de tutela que constituem um grave atentado à autonomia do Poder Local e violam a Constituição da República Portuguesa.
Como se isso não bastasse, o Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento do Estado (PIDDAC) seguiu a mesma filosofia, deixando de fora, uma vez mais, no caso concreto do concelho de Palmela, investimentos fundamentais para a região.
«A única excepção no que toca a reivindicações estruturais para o concelho que nos últimos anos, com carácter sistemático, as maiorias instaladas na Assembleia da República inviabilizaram, tem a ver com a escola do 2.º e 3.º ciclos do Poceirão e da Marateca, para a qual estão atribuídos 600 mil euros», informam, em nota de imprensa, os eleitos da CDU da Assembleia de Freguesia do Poceirão, realçando que esta aprovação «é fruto, antes de mais, da capacidade reivindicativa das populações, protagonizada pela Comissão de Pais, em articulação com as propostas e iniciativas pioneiras da Junta de Freguesia do Poceirão e da Câmara Municipal de Palmela».
Face a isto, apelando à participação da população da freguesia e utentes, a CDU exige uma «rápida solução para a passagem desnivelada do Poceirão, também ele preterida de PIDDAC para PIDDAC».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: