- Edição Nº1640  -  5-5-2005

Gaia
Solidariedade com os trabalhadores

Gaia é o concelho da Área Metropolitana do Porto mais afectado pelo aumento do desemprego, o encerramento e deslocalização de empresas. Neste sentido, a CDU de Gaia, apresentou, recentemente, uma moção para «manifestar a sua solidariedade com os trabalhadores da Yasaki, da ARA, da Cotesi, da Salsa, da Fábrica Cerâmica de Valadares, da Sunviauto, e de outras empresas que estão a ser atingidas por situações de desemprego ou onde há uma ameaça iminente». O documento, aprovado por unanimidade, apela ainda à Câmara Municipal de Gaia para que actue na defesa do emprego e de todos os direitos dos trabalhadores e solícita, ao Governo, que intervenha para pôr cobro a esta situação.
A CDU apresentou ainda uma outra moção, solidarizando-se com a recente posição da Assembleia de Freguesia de Santa Marinha na sua preocupação com a eventual saída dos Estaleiros de Rebelos do local onde se encontram, e insistindo na necessidade de conservar o património do Centro Histórico da beira-rio e as suas populações e valorizar as actividades locais que igualmente fazem parte desse património. Este documento foi, porém, e estranhamente, rejeitado pela maioria PSD/CDS-PP (que é maioritária naquela freguesia), tendo-se mais uma vez assistido a um lastimável comportamento do vice-presidente da Câmara, raiando o insulto pessoal.

Criar soluções em Gaia

Entretanto, na passada semana, a deputada municipal e candidata à Câmara Municipal da CDU, Ilda Figueiredo, e outros eleitos e activistas da CDU, prosseguindo o habitual contacto com os problemas dos gaienses, visitaram o Centro de Saúde das Camélias (extensão do CS de Soares dos Reis), onde prestam serviço 6 médicos e estão inscritos 9 mil utentes. Constatou-se que os gabinetes apresentam dimensões exíguas e nada condizentes com o bom aspecto geral das instalações.
Os utentes ali presentes queixaram-se da deficiente organização do centro, que os obriga a esperar, sem quaisquer condições, das 7 às 9h30 sempre que pretendem inscrever-se nas «vagas» da manhã. Verificou-se ainda que o centro está muito mal assinalado, não existindo qualquer identificação na fachada do mesmo nem sinalizadores nas ruas mais próximas.
A freguesia de Mafamude regista, por outro lado, um elevado défice de zonas de lazer e espaços verdes, que não foram devidamente acautelados no surto de construção que tem sido permitido. Na Rua das Camélias e na Rua da Alemã, existe um terreno que poderia servir para esse efeito, numa zona altamente carenciada; e na Rua dos Abraços, junto ao terreno onde está prevista a instalação de uma escola, poderia e deveria ser criada uma zona de lazer. De registrar ainda que os jardins locais e as árvores ali existentes são mantidos pelos moradores e não pela Câmara, como seria correcta.