Memória megalítica do Alentejo
A cerimónia de inauguração do projecto de reinstalação do Cromeleque do Xerêz realizou-se, sábado, na abertura oficial da bienal de artes «Monsaraz Museu Aberto». O Cromeleque de Xerêz é o único monumento transferido de toda a área inundada pelo Grande Lago de Alqueva. A opção de desmontagem e da reinstalação noutro local, foi tomada, em grande medida, devido ao facto de se tratar de um recinto megalítico, cujos menires já tinham sido objecto de instalação em 1972, pelo arqueólogo José Pires Gonçalves.
«Dado que agora já não se colocavam problemas quanto à sua autenticidade, optou-se por deixar uma memória de todo o património submerso pelas águas de Alqueva, e permitir a fruição de um dos mais emblemáticos monumentos megalíticos do Alentejo», afirmou, em nota à comunicação social, a Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz. O local escolhido foi o terreno onde será construído o futuro Museu de Arqueologia, na aldeia de Telheiro/Ferragudo, na freguesia de Monsaraz.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: