Bolsas insuficientes
A Associação que representa os investigadores bolseiros (ABIC) lamentou, sexta-feira, que o concurso para projectos científicos abertos pela tutela imponha um limite máximo ao orçamento para recursos humanos que considera insuficiente para atribuir bolsas.
Em comunicado, a ABIC «lamenta o limite máximo, de 25 mil euros, imposto pelo regulamento ao orçamento para Recursos Humanos», lembrando que o concurso esteve sem abrir durante dois anos. Neste sentido, a associação classifica a medida de «inédita e sem paralela em anos anteriores», indicando que «não permite sequer a atribuição de uma bolsa de investigação ou de uma bolsa de técnico de investigação durante o período total de duração do projecto, três anos».
Os representantes dos investigadores que usufruem de bolsa para projectos científicos, mais de sete mil em Portugal, lamentam ainda «não estar prevista a contratação - com contratos de trabalho - de investigadores para a realização do plano de trabalho do projecto». Desta forma, questionam a «viabilidade de concretização dos projectos» e a «seriedade da anunciada intenção de promoção do emprego científico».
A ABIC alerta também para o facto do formulário da candidatura (rubrica Recursos Humanos) não prever «o pagamento de Seguro Social Voluntário que, nos termos da lei, é da responsabilidade da entidade financeira».
No início deste mês foram aprovadas na Assembleia da República um conjunto de alterações ao estatuto dos bolseiros, consideradas, no entanto, insuficientes pela ABIC.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: