Pela OCDE
Polónia pressionada a privatizar
A OCDE pretende que a Polónia acelere as privatizações. Num estudo publicado em Varsóvia no passado dia 6, a Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico defende o abandono por parte do Estado de todas as suas participações em empresas públicas. Segundo o estudo, só desta forma será evitada a «perpetuação de uma estrutura de propriedade dominada pelo Estado e pelos interesses de dirigentes nomeados em função de critérios políticos».
A OCDE estima que se as políticas económicas polacas não forem alteradas no sentido que a organização preconiza, a Polónia não conseguirá atingir os níveis de rendimento médio dos países membros. Actualmente, na Polónia, o rendimento por habitante representa 41 por cento da média dos países da OCDE, da qual o país faz parte desde 1996.
No estudo, saúdam-se os «quinze anos de profundas mudanças e de grandes realizações» levadas a cabo no país desde 1989, ano em que os comunistas saíram do governo de Varsóvia. Os autores do trabalho consideram que o recuo muito pronunciado no emprego, ocorrido depois de 1998, nada tem a ver com tais «mudanças», mas ainda com uma alegada «subsistência de problemas sérios» na economia polaca. Actualmente, a Polónia é o país da União Europeia com a maior taxa de desemprego, com perto de 20 por cento de desempregados.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: