Defender a Somincor
A Comissão Concelhia de Castro Verde do PCP não quer que a Somincor seja maioritariamente detida por empresas privadas. Consideram os comunistas que as minas de Neves Corvo são um empreendimento fundamental para o desenvolvimento do País e da região – quer pelos postos de trabalho que assegura quer pelas mais-valias que produz – e que, como tal, devem permanecer sob controlo do Estado e não «vendido ao desbarato a uma multinacional que, decerto, não tem como preocupação fundamental o bem-estar e o progresso do Alentejo». O PCP reafirma, assim, a sua frontal oposição à venda a uma multinacional dos 51 por cento que o Estado actualmente detém na Somincor. A operação será realizada em simultâneo com a venda dos 49 por cento detidos pela Rio Tinto Zinc.
Os comunistas entendem que a alienação total da empresa pelo Estado coloca em risco centenas de postos de trabalho. O Governo chegou mesmo a «autorizar» os futuros proprietários a despedir 10 por cento dos trabalhadores por ano, denuncia o PCP. Os comunistas estão ainda solidários com os trabalhadores da empresa e com o Sindicatos Mineiro, que estão em pleno processo de luta por aumentos salariais justos e em defesa dos direitos laborais.
_______________________________________________


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: