Saúde com futuro

A iniciativa tem lugar em Lisboa, no Hotel Continental (Rua Laura Alves, junto à RTP), a partir das 15 horas, num momento em que – como é referido no convite distribuído às organizações e aos diversos convidados – «nunca estiveram tão ameaçados o direito constitucional à Saúde e o papel do Estado como prestador de cuidados de saúde» e «nunca foi tão evidente a possibilidade de se assumir a Saúde como área de negócio dos grandes grupos financeiros».

Os comunistas recordam que as políticas privatizadoras, onde foram concretizadas, pioraram sempre a qualidade da prestação dos cuidados de saúde.

Para o PCP, o Serviço Nacional de Saúde precisa de profundas reformas e não de ser destruído. Em alternativa à actual política, «há outro rumo para a saúde, com melhor serviço público, com mais humanização e melhor acesso, com melhores condições de trabalho e empenho dos seus profissionais». Existem igualmente «conhecimentos, propostas, vontades e energias capazes de tomar esse rumo».


Segurança


Um debate sobre «Segurança Pública versus Forças de Segurança», com a participação de Domingos Abrantes, da Comissão Política do PCP, e do deputado comunista António Filipe, realizou-se anteontem, ao fim da tarde, na sede da Federação Portuguesa de Colectividades de Cultura e Recreio. Esta foi igualmente uma iniciativa que integra a acção «Em movimento, por um Portugal com futuro», que o PCP apresentou em finais de Outubro.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: