- Edição Nº1521  -  23-1-2003

7.ª Assembleia de Aveiro
Intervir mais e melhor

Para analisar a actividade desenvolvida desde Fevereiro de 1999, definir um plano de actividade para o futuro e eleger a nova Comissão Concelhia, reuniu, em 7 Dezembro, a 7.ª Assembleia da Organização Concelhia de Aveiro do PCP.

A assembleia, que decorreu nas instalações da biblioteca municipal, contou com a participação de Francisco Lopes, membro da Comissão Política, que estava acompanhado na mesa por João Frazão, responsável pela DORAV, e António Salavessa e António Luís Almeida, membros da DORAV e da Comissão Concelhia de Aveiro.

Pode considerar-se que a reunião magna dos comunistas de Aveiro atingiu os seus objectivos: discutiu e aprovou por unanimidade a resolução política apresentada pela Comissão Concelhia cessante e elegeu, também por unanimidade, a nova Comissão Concelhia, composta por 23 membros, 39 por cento dos quais integram este organismo pela primeira vez e 22 por cento têm idades abaixo dos 30 anos.

A resolução política considera que a Organização de Aveiro, apesar do período extremamente exigente que teve de enfrentar e das suas inúmeras insuficiências, esteve presente, com maiores ou menores dificuldades, nas principais batalhas e tarefas, afirmando-se como uma organização política com opinião, propostas e acção coerente.

De facto, os comunistas tiveram uma assinalável intervenção autárquica num concelho hoje dominado por betão e por um conjunto de obras lançadas em simultâneo, sem planeamento ou acautelamento devido das consequências, promoveram inúmeras sessões públicas temáticas, jornadas de esclarecimento e visitas de deputados à região, tendo, ainda, conseguido concretizar um sonho que há muito alimentavam: a recuperação do edifício do Centro de Trabalho, agora com melhores condições para o desenvolvimento da sua actividade.


Metas para Setembro


Na análise às autárquicas de 2001, a resolução considera que o aumento substancial de votos na CDU, relativamente a 1997, não se traduziu por alterações significativas em termos de eleitos, tendo-se, contudo, verificado a eleição de terceiro elemento da CDU para a Junta de Freguesia e, ainda, de um outro, pela primeira vez, para a Assembleia de Freguesia de São Bernardo.

A expressão da CDU nos órgãos autárquicos continua, porém, ainda reduzida, não permitindo uma intervenção mais profunda em defesa do concelho. Um concelho que vem há décadas crescendo e onde coexistem importantes unidades de serviços, unidades industriais de dimensão variada, explorações agrícolas e, ainda, a Universidade de Aveiro, que envolve cerca de dez mil pessoas.

Para intervir mais e melhor nesta realidade, os comunistas de Aveiro apontaram algumas metas que se propõem concretizar até Setembro de 2003 e definiram linhas concretas de organização, como sejam a realização de um plenário mensal de todos os militantes, a criação de um organismo de empresas que acompanhe os problemas e tome iniciativas, a promoção de reuniões entre os camaradas de diversas freguesias (Esgueira, Eixo, Requeixo) que poderão evoluir para a constituição de organismos de base local.