Novo leilão da Casa Hipólito

Os 291 antigos trabalhadores da falida Casa Hipólito, de Torres Vedras, aguardam atentamente a marcação da terceira tentativa de venda de património da empresa metalúrgica, que deverá ser decidida na reunião da comissão de credores, marcada para a próxima terça-feira.

Dos resultados do leilão depende a garantia de pagamento dos salários e das indemnizações em dívida, passados dois anos e meio sobre a declaração de falência, em Junho de 1999.

Na primeira tentativa de venda dos sete hectares de terreno situados na zona industrial, em Novembro de 2002, as propostas não ultrapassaram os sete milhões de euros, quando a base de licitação era de 14 milhões de euros. Na segunda não apareceram propostas formais.

O representante dos trabalhadores na comissão de credores, João Miranda, disse anteontem à Lusa que «só a dívida aos trabalhadores é de 7,5 milhões de euros», pelo que não aceitam subscrever qualquer proposta de venda por um valor inferior à dívida.

O Sindicato recorreu para o Supremo Tribunal de Justiça da decisão do Tribunal da Relação, que recusou colocar em primeiro lugar o pagamento das indemnizações aos trabalhadores.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: